Organizadores da “Caminhada pela Paz” do dia 15 de maio, se reúnem e decidem formar o movimento: “Paranaguá Contra a Violência, Juntos pela Paz”. Integrantes do movimento devem participar do Fórum “Fraternidade e Superação da Violência” será realizado no Teatro Rachel Costa, dias 21,22 e 23 deste mês

Prancheta 1FORUM CARTAZ DIGITAL DIVULGAÇÃOAs jovens Cinthia Cordeiro e Patrícia Camilo, que tiveram a ideia de fazer a “Caminhada pela Paz”, como uma forma da população de Paranaguá mostrar sua indignação pela onda de violência que assola a cidade, firmaram o propósito de manter a mobilização. E agora, o movimento quer mais.

No sábado, dia 12, elas se reuniram com o grupo de apoio para fazer uma avaliação do dia 10 e preparar o encaminhamento da “Carta Aberta”, lida durante a caminhada, solicitando segurança efetiva para o município de Paranaguá e Litoral.  Desta reunião surgiu o movimento organizado: “Paranaguá Contra a Violência”.

Os participantes do movimento, estão protocolando esta semana a “Carta Aberta” em vários órgãos e setores públicos, propondo o prazo de 10 dias para que respondam os itens pertinentes a cada área. “Vamos acompanhar o cobrar estas respostas, bem como informar a população sobre estes resultados”, afirmou Cinthia Cordeiro. “Convidamos as pessoas, grupos, associações, enfim todos os que quiserem ajudar, lembrando que o movimento é apartidário e ecumênico”, finaliza.

Os próximos passos do movimento “Paranaguá Contra a Violência”, além do acompanhamento das reivindicações da “Carta Aberta” são: providenciar uma identificação visual para o grupo e participar do fórum “Fraternidade e Superação da Violência” no Teatro Rachel Costa, dias 21,22 e 23 deste mês.

Carta Aberta

MOVIMENTO PARANAGUÁ CONTRA A VIOLÊNCIA – JUNTOS PELA PAZ

Ao  Coronel Rui Noé Barroso Torres 9º Batalhão de Polícia Militar – Paranaguá Polícia Militar do Estado do Paraná

Assunto: Carta Aberta da população parnanguara, solicitando segurança efetiva ao Município de Paranaguá e Litoral Paranaense.

Por meio dessa CARTA ABERTA, apresentamos as circunstâncias da realização da MANIFESTAÇÃO PACÍFICA PELA SEGURANÇA DE PARANAGUÁ, realizada em  10 de maio de 2018, às 19h – Praça Portugal (PARANAGUÁ-PR).

Externamos, aqui, nossa preocupação com Segurança pública no município e com as PROVIDÊNCIAS URGENTES que precisam ser tomadas. Este é um movimento pacífico e pela paz, apartidário, não tem envolvimento com nenhum partido político, é ecumênico, sem distinção de raça e aberto a toda população. Isto é, um Movimento Popular.

Considerando as dificuldades inerentes à segurança da população, acreditamos que o Poder Público precisa, continuamente, voltar todos os esforços para que de forma rápida, haja controle a redução do crime e violência. O cenário atual de Paranaguá é tenebroso com vias escuras, prédios abandonados, obras inacabadas, matagais em terrenos baldios, ruas e calçadas sujas – propício para o mal se instalar e os criminosos agirem: assaltos, tráfico acontecendo à luz do dia, ocupação de grupos de andarilhos, furto incessante de cargas, roubo diário de carros, residências invadidas, constante atropelamentos e acidentes de trânsito, agressões covardes as mulheres e contra a sexualidade, abuso de diversas formas e terríveis assassinatos… Neste contexto, todos estão na mira dos bandidos, não há hora, lugar ou pessoa segura. Todos somos vítimas da criminalidade no município.

Infelizmente, muitos jovens estão se perdendo para a dependência química e o crime. E do outro lado, está o trabalhador, o estudante, a dona de casa… perdendo sua paz, seus bens, seus parentes, seus amigos e perdendo a própria vida. Esta CARTA não conseguirá expressar o grande sofrimento, as imensas dores que sentimos a cada perda. Não conseguimos mais suportar tanta violência que cresce a cada dia. Estamos assustados, com medo, inseguros. Não temos a mínima sensação de segurança! Não podemos mais andar livremente pela cidade! Não sabemos se voltaremos pra casa! Nem se nossa casa está segura.

Não se pode ignorar que, os dados da própria Secretaria Estadual de Segurança Pública do Paraná impressionam e chocam pelo crescimento do crime nos últimos anos, ocorridos na AREA INTEGRADA DE SEGURANÇA PÚBLICA do LITORAL DO PARANÁ (AIS3):

COMPARATIVO EM ANO E NÚMERO DE OCORRÊNCIAS

 

 

OCORRÊNCIAS ENVOLVENDO USO/CONSUMO DE DROGAS 2013 2017

747 1.343

FURTOS EM AMBIENTES PÚBLICOS 2013 2017

1.324 1.586

ROUBOS EM AMBIENTES PÚBLICOS 2013 2017

768 2.103

FURTOS EM RESIDÊNCIA 2007  2017

121  966

OUTROS CRIMES CONSUMADOS 2007  2017

1.725  6.323

FURTOS CONSUMADOS 2007  2017

5.725  8.467

ROUBOS CONSUMADOS 2007  2017

365  2.750

 

Fonte: http://www.seguranca.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=38

Vemos nos dados acima, que a insegurança predomina, pois o CRIME e a VIOLÊNCIA cresceram de forma descontrolada em nosso Litoral, sendo um dos índices mais altos do Estado. ESTÁ NA HORA DE DIZER UM BASTA! É necessário encarar os fatos e cobrar dos agentes a RESPONSABILIDADE, para promover uma SEGURANÇA PÚBLICA REAL E EFETIVA, com ações inteligentes, integradas e ininterruptas. Planos e Investimentos são urgentes e necessários.

Sendo assim, esperamos que esta MANIFESTAÇÃO faça desta DATA (10 maio de 2018) um MARCO para a SEGURANÇA. Esperamos que juntos, possamos iniciar um DIÁLOGO em sociedade e autoridades, discutindo e traçando um PLANO EFETIVO E PROGRESSIVO DE SEGURANÇA PÚBLICA. Esperamos restaurar a paz e a tranqüilidade, não só para a população parnanguara, mas também para todo o Litoral do Paraná, que está acometido dos mesmos rastros de violência que nós.

Precisamos voltar a acreditar no poder público. Precisamos evitar que novos crimes e mortes aconteçam. Precisamos que a violência possa ser combatida, com ações concretas, sistemáticas, de curto, médio e longo prazo. Para isso, pedimos que a sociedade seja inserida em um processo contínuo de diálogo, para as juntos tratarmos e resolvermos as seguintes reinvidicações:

  1. Que as estratégias de segurança da cidade sejam revistas através de um Plano Municipal de Segurança. 2. Que os Conselhos Municipais tenham mais recursos e participação efetiva. 3. Que tenhamos Programas Sociais efetivos que integrem e ajudem os mais vulneráveis. 4. Que haja oportunidades para que todos os jovens se afastem da ilicitude e criminalidade. 5. Que os Colégios e os alunos sejam bem cuidados e protegidos.  6. Que sejam implantados os Programas e Políticas Públicas já existentes e ainda não disponíveis localmente (exemplo Delegacia da Mulher). 7. Que os criminosos sejam punidos e recuperados para poderem ser reinseridos na sociedade. 8. Que as Casas de Recuperação sejam viabilizadas, vistoriadas e acompanhadas para seu correto funcionamento.  9. Que os Espaços Públicos sejam respeitados e valorizados com manutenção, limpeza, iluminação tornando-se agradáveis, convidativos e acolhedores. 10. Que seja melhorada toda a estrutura viária urbana e rural com pavimentação, guias, travessias elevadas, sinalização e pintura (vias prioritárias Av. Airton Senna, Bento Rocha. Etc.) 11. Que seja revisto a malha rodoviária, implementando sinalização, ciclovias, acostamentos, passarelas, travessias, retornos, redutores de velocidade, viadutos, etc…  12. Que seja melhorado e ampliado o sistema cicloviário . 13. Que haja valorização das forças policiais . 14. Que seja viabilizada a Integração entre as Polícias . 15. Que as verbas sejam bem aplicadas em tecnologia pró-segurança, melhorando a infra-estrutura adequada para ações táticas preventivas, ostensivas e investigativas.   16. Que seja ampliado o número de efetivo e viaturas, diversificando as formas de transporte das polícias (como bicicleta, motocicletas, carros, barcos e outros veículos).

De modo geral, esperamos apenas que as Leis sejam cumpridas e os Direitos respeitados.

Então, a fim de gerar uma aproximação com tais agentes, solicitamos, que os Excelentíssimos Senhores Representantes Municipais e Estaduais publiquem, através dos Meios de Comunicação Locais (com bastante antecedência e em horário adequado para que a maioria da população possa participar) uma Convocação Pública para tratarmos dos itens aqui descritos, iniciando o DIÁLOGO proposto.

Reivindicamos, ainda, participação ampla e transparente da Sociedade Civil Organizada, representada através dos Grupos, Movimentos e Associações para que a Participação Popular seja respeitada e ativa na construção de Planos de Controle da Violência e Redução da Criminalidade em nossa cidade e região litorânea do Estado.

Acreditamos que o Poder Público e a Sociedade possam juntos, não apenas reduzir, mas também frear a crescente violência, traçando um futuro mais suave, para um LITORAL MAIS SEGURO a todos nós.

Em nome das VIDAS PERDIDAS e de todas as VÍTIMAS da violência e do crime, pedimos PAZ .

Paranaguá, 14 de Maio de 2018.

INSTITUIÇÕES QUE APOIAM AS REINVIDICAÇÕES: AMDA – Associação dos Moradores do Distrito de Alexandra AMIV – Associação dos Moradores da Ilha dos Valadares ANIMPO – Associação dos Nativos da Ilha do Mel AMBB – Associação de Moradores do Bairro Bockmann AMJAI – Associação de Moradores do Jardim Iguaçu Centro de Letras de Paranaguá “Leôncio Correia”. Conselho Comunitário de Segurança da Ilha do Mel Conselho Comunitário de Segurança de Paranaguá Conselho Comunitário de Segurança do Litoral do Paraná Coperativa Mista de Transportes de Fertilizantes, Sal, Corrosivos e Derivados do Litoral – Coopadubo Movimento Defensores de Paranaguá Movimento Mulheres Decididas ONG 5C (Centro Cultural Cecília Correa Carvalho) ONG Paranaguá Criativa Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil e de Montagem de Paranaguá e Litoral UBM – União Brasileira de Mulheres

Quaisquer dúvidas ou esclarecimentos que se fizerem necessários, favor entrarem em contato:

Atenciosamente,

____________________                       _____________________________________ Cinthia Cordeiro – CPF 086.245.899-40  Patrícia Ferreira Camilo – CPF 00.973.492-10

cordeirociih22@gmail.com            camilopaty54@gmail.com

(41) 9-8523-3709                         (41) 9-8470-1279

 

Texto: Giolete Babinski

Tags: , , ,

Compartilhar



Comentar com o Facebook


Deixe uma resposta


vermelho {limão}