Todas as unidades básicas de saúde de Paranaguá passaram a oferecer vacina contra a febre amarela de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Entretanto, 7 delas também atendem em horário estendido e também disponibilizam as doses, das 18h às 23h. São elas: Alexandra, Vila Divinéia, Vila Garcia, Gabriel de Lara, Serraria do Rocha, Ilha dos Valadares (Rodrigo Gomes) e Jardim Iguaçu.33641A confirmação do primeiro caso de febre amarela em Antonina, pela Secretaria de Estado da Saúde, provocou uma corrida da população aos postos de saúde de Paranaguá em busca de vacina. De quarta-feira da semana passada até a noite do dia 29 foram imunizadas 3.991 pessoas na cidade, conforme o Departamento de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde.

O paciente confirmado com febre amarela é um jovem de 21 anos e está internado no Hospital Regional do Litoral, em Paranaguá. Seu quadro clínico, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde em matéria publicada em seu site, é moderado e estável. Houve a notificação de outros 29 pacientes, que estão em investigação. De acordo com o diretor do Centro Epidemiológico do Paraná, João Luís Crivellaro, “o grande número de notificações não deve assustar a população, porque revela que o trabalho de vigilância está sendo feito”.

Todas as unidades básicas de saúde de Paranaguá passaram a oferecer vacina contra a febre amarela de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Entretanto, 7 delas também atendem em horário estendido e também disponibilizam as doses, das 18h às 23h. São elas: Alexandra, Vila Divinéia, Vila Garcia, Gabriel de Lara, Serraria do Rocha, Ilha dos Valadares (Rodrigo Gomes) e Jardim Iguaçu. “Isso facilita principalmente para quem trabalha o dia inteiro e não pode procurar uma unidade no horário comercial para se vacinar”, reforçou a secretária de Saúde, Lígia de Campos Cordeiro.
Podem ser vacinadas pessoas com idade entre 9 meses e 59 anos.

OUTROS CUIDADOS

A eficácia da vacina contra a febre amarela ocorre após 10 dias da aplicação da dose. Enquanto isso alguns cuidados são necessários, principalmente para pessoas que forem visitar ou residam em áreas consideradas de risco, como zonas rurais, já que o mosquito transmissor é silvestre. “Recomendamos os cuidados comuns para se prevenir de mosquito, como o uso de repelente, telas nas janelas, mosquiteiros, o uso de calças e blusas de mangas compridas. Enquanto a vacina não estiver agindo é bom evitar áreas de matas”, orienta a secretária Lígia.

A secretária municipal de Saúde alerta também que os cuidados com o Aedes Aegypti permanecem, pois ele transmite além da febre amarela também a dengue, zika e chikungunya. “Por isso é importante que nossa população colabore não mantendo água parada em seus quintais, o que contribui para a proliferação deste mosquito”, completou a secretária.

Fonte: Secom- PMP

Tags: , , , , ,

Compartilhar



Comentar com o Facebook


Deixe uma resposta


vermelho {limão}