Soube que leva 10 dias para a vacina fazer efeito. Por isso corri para vaciná-los o quanto antes”, declarou mãe que levou os filhos para tomar a vacina contra a febre amarela

Médica infectologista Lúcia Eneida Rodrigues faz orientações

Médica infectologista Lúcia Eneida Rodrigues faz orientações

A dona de casa Emília Garibaldi, que é do Espírito Santo e está há pouco mais de dois meses vivendo em Paranaguá, ficou preocupada quando teve as primeiras informações sobre a possibilidade de a cidade ter casos de febre amarela. Aproveitou a manhã de folga no trabalho e levou os dois filhos para serem vacinados, na unidade da Gabriel de Lara. “Soube que leva 10 dias para a vacina fazer efeito. Por isso corri para vaciná-los o quanto antes”, declarou a mulher. Ler mais →


Todas as unidades básicas de saúde de Paranaguá passaram a oferecer vacina contra a febre amarela de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Entretanto, 7 delas também atendem em horário estendido e também disponibilizam as doses, das 18h às 23h. São elas: Alexandra, Vila Divinéia, Vila Garcia, Gabriel de Lara, Serraria do Rocha, Ilha dos Valadares (Rodrigo Gomes) e Jardim Iguaçu.33641A confirmação do primeiro caso de febre amarela em Antonina, pela Secretaria de Estado da Saúde, provocou uma corrida da população aos postos de saúde de Paranaguá em busca de vacina. De quarta-feira da semana passada até a noite do dia 29 foram imunizadas 3.991 pessoas na cidade, conforme o Departamento de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde. Ler mais →


O Governo do Estado foi quem orientou os municípios do Litoral a iniciar a intensificação da vacinação, como medida preventiva

33643A Secretaria Municipal de Paranaguá aplicou 524 doses da vacina contra a febre amarela no último final de semana, em três diferentes locais (Encantadas e Nova Brasília, na Ilha do Mel, e durante visitação do navio Fragata Independência, no porto). A intenção é intensificar e melhorar o índice de imunização da população da cidade, já que na última sexta-feira foram divulgados resultados que apontaram como positivo a febre para a causa da morte de três macacos em Antonina. Até agora foram aplicadas 1.844 doses, mas o número deve aumentar nos próximos dias. Nesta segunda-feira (28) a procura foi intensa nas unidades básicas de saúde.  Ler mais →


Pais não levam crianças para tomar a vacina e hoje é o último dia da prorrogação da campanha de vacinação

campanha-de-vacinacao-contra-polio-e-sarampoO  Ministério da Saúde divulgou a relação dos 50 municípios do Paraná que não atingiram a meta de vacinação contra pólio e sarampo. E Paranaguá apresentou o menor índice de vacinação com 67,1%. A relação foi divulgada na última quarta-feira, dia 12.

É a pior taxa do Paraná. A vacina é para crianças de 1 a 5 anos de idade e depende dos pais e responsáveis  para garantir que os pequenos sejam protegidos. No Litoral, as cidades de Antonina e Morretes também não atingiram a meta de 95%. Antonina está perto. Atingiu 93,2% e Morretes alcançou 81,2%. Ler mais →


Em Paranaguá, a aplicação da vacina estará concentrada nas unidades de saúde da Gabriel de Lara e da Vila Santa Maria neste sábado, dia 18. Crianças de 1 a 5 anos devem ser levadas para tomar as vacinas e ficarem protegidas. Nessa idade elas não conseguem ir sozinhas, viu pais?!!!!

36299425112_1cb963dadf_kTodas as crianças com idade entre um ano e menores de 5 anos devem receber as doses das vacinas contra sarampo e poliomielite, independentemente de sua situação vacinal. A campanha segue até 31 de agosto mas neste sábado, dia 18, acontece o Dia D de Mobilização Nacional para vacinação.

Em Paranaguá, a aplicação da vacina estará concentrada em duas Unidades Básicas de Saúde, na Gabriel de Lara e a localizada na Vila Santa Maria neste sábado  Ler mais →


O Dia D da campanha será 18 de agosto, quando mais de 36 mil postos estarão abertos no país; médicos têm papel importante neste processo de conscientização

WhatsApp Image 2018-08-07 at 15.27.38 (7)Os pais e responsáveis por crianças com idade a partir de 12 meses e menos de 5 anos estão convocados a levar seus filhos aos postos de vacinação a partir da próxima segunda (6), quando começa a Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite e Sarampo. Mesmo as crianças que já receberam as vacinas anteriormente devem ser imunizadas. A meta é vacinar ao menos 95% das crianças dessa faixa etária. A campanha é voltada exclusivamente às crianças e termina em 31 de agosto. O Dia D da campanha será em 18 de agosto.

SARAMPO

No caso do sarampo, a preocupação é evitar que o número de casos da doença aumente. Desde o início do ano, o Ministério da Saúde já confirmou mais de 800 casos de sarampo no Brasil, a maioria no Amazonas e em Roraima. Outros 3.800 casos estão em investigação. A doença foi confirmada ainda em São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia e Pará.
O Paraná não registra ocorrências de sarampo desde 2000, mas manter a doença longe do Estado depende da manutenção de altas taxas de cobertura vacinal. “Não há medidas preventivas eficazes no caso do sarampo. Apenas a vacinação pode frear o avanço da doença no país”, lembra o secretário Nardi.

PREOCUPAÇÃO

Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), o sarampo está presente em pelo menos 10 países das Américas além do Brasil. O maior número de casos confirmados é na Venezuela, com mais de 1.600 registros em 2018. A doença também foi identificada no Canadá, Estados Unidos, México, Peru, Colômbia, Equador, Antígua e Barbuda, Guatemala e Argentina. Desde 2016, a Opas declarou a região das Américas área livre do sarampo, conquista que pode ser perdida caso os casos da doença continuem a aparecer.
A superintendente de Vigilância em Saúde, Júlia Cordellini, explica que enquanto houver o vírus da doença em circulação no mundo, a doença pode voltar a contagiar crianças e adultos não imunizados a qualquer momento, mesmo em regiões onde a doença não é registrada há anos, como no Paraná, onde desde 2000 não registros da doença.
“Quando as pessoas estão vacinadas, mesmo que tenham contato com o vírus, não irão se contagiar e nem transmitir a doença para outras pessoas. Mas para isso é preciso imunizar ao menos 95% da população”, lembra Júlia.

COBERTURA

Nos últimos anos, o Ministério da Saúde tem notado queda nos índices de cobertura de diversas vacinas. No caso específico do sarampo, a imunização é feita através da aplicação de uma dose da vacina tríplice viral aos 12 meses de vida e uma dose da vacina tetra viral aos 15 meses, considerado reforço da primeira.
Dados preliminares do Ministério da Saúde mostram que no ano passado 85,2% das crianças brasileiras que deveriam ter tomado a vacina tríplice foram vacinados e 69,9% tomaram a tetra viral, bem abaixo da meta de 95%. No Paraná, a cobertura vacinal da tríplice e da tetra viral também ficaram abaixo da meta no ano passado. Em 2017, 86,29% das crianças paranaenses receberam a vacina tríplice e 83,27% tomaram a tetra viral.
Para Júlia, a diminuição nos índices de vacinação reflete desconhecimento sobre a importância das vacinas para a saúde e bem-estar das crianças, jovens e adultos. Ela lembra que manter a carteira de vacinação atualizada é uma ação simples, mas com grande impacto na saúde das pessoas.
“A vacina está disponível gratuitamente em todo o país. Mas é preciso que as pessoas se vacinem, levem seus filhos para se vacinar, mantenham suas carteiras de vacinação atualizadas. Precisamos reconhecer a importância do ato de se vacinar e aproveitar melhor esse direito”, finaliza Júlia.

Campanha do Ministério da Saúde. (Foto: MS)

MOBILIZAÇÃO NACIONAL

A campanha de vacinação deste ano é indiscriminada, ou seja, pretende vacinar todas as crianças dessa faixa etária no país, para manter coberturas homogêneas de vacinação. Para a poliomielite, as que não tomaram nenhuma dose durante a vida, receberão a VIP. Já os menores de cinco anos que já tiverem tomado uma ou mais doses da vacina, receberão a VOP, a gotinha. Em relação ao sarampo, todas as crianças receberão uma dose da vacina Tríplice viral, independentemente da situação vacinal, desde que não tenham sido vacinadas nos últimos trinta dias.

Para mobilizar a população, o Ministério da Saúde conta, neste ano, com o apoio da apresentadora de TV Xuxa. Não é a primeira vez que ela é madrinha de uma campanha de vacinação do Ministério da Saúde. Nos anos 1980, Xuxa também estrelou uma campanha de vacinação que bateu recordes e foi reconhecida até pela Organização Mundial da Saúde (OMS). No total, 11,2 milhões de crianças podem ser vacinadas.


Vacinação contra a gripe começa nesta segunda-feira.Foto: DivulgaçãoA campanha da vacinação contra a gripe Influenza, que terminaria no dia 15, foi prorrogada pela segunda vez pelo Ministério da Saúde, até 22 de junho. A meta estabelecida para imunização ainda não foi conquistada em boa parte dos municípios brasileiros. Em Paranaguá, o índice chegou a 88,31%. Ler mais →


Índices de imunização ficaram bem abaixo do esperado
WhatsApp Image 2018-04-28 at 14.09.56Foi prorrogada até 29 de junho a vacinação contra a dengue em Paranaguá e em outros 29 municípios paranaenses. A decisão foi tomada durante videoconferência entre as regionais e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), na tarde desta segunda-feira, em virtude do baixo índice vacinal registrado na cidade. Podem ser vacinadas pessoas com idade entre 9 e 44 anos, 11 meses e 29 dias.  Ler mais →


Postos de saúde abrem neste sábado para vacinação contra dengue e gripe em Paranaguá

banner-site_8As pessoas que fazem parte do público-alvo da campanha de vacinação contra a dengue têm até este sábado (28) para receber a terceira dose da vacina. Nesta etapa, cerca de 110 mil pessoas estão aptas a completar sua imunização contra a dengue nos 30 municípios selecionados para a campanha.  Ler mais →


Vacinação começa nesta segunda-feira, dia 23. A transmissão dos vírus influenza se dá por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). 

1.1- VACINAComeça em Paranaguá no próximo dia 23 e segue até 1.º de junho a campanha nacional de vacinação contra a gripe Influenza. A meta é imunizar cerca de 42 mil pessoas, mesma média definida no ano passado. As doses estarão disponíveis em todas as unidades de saúde, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, e também nas quatro que funcionam com horário estendido: Alexandra, Ilha dos Valadares (Rodrigo Gomes), Serraria do Rocha e Vila GarciaLer mais →



vermelho {limão}