abraçoPor: Kátia Muniz

“No abraço a gente entrega o quanto ama”. Fernanda Estellita.

Não é novidade, pelo menos para quem me acompanha, que costumo, muitas vezes, dar a largada para meus textos usando como base frases que me tocam.

A que abre esta crônica, caiu como uma luva para celebrar o Dia do Abraço, em 22 de maio. Ler mais →


conexão


coluna conexão


18341818_1039807852819111_8690260596138685633_nPor: Kátia Muniz
Diga, mãe, que você vai continuar a me dar colo, a me fornecer os abraços mais aconchegantes, a depositar beijos no meu rosto e a me emprestar os seus ouvidos.
O tempo está passando. Para que tanta velinha em cima desse bolo? Mais uma idade inaugurada, mais rugas instaladas sem permissão e algumas dores que insistem em dizer que você não tem mais vinte anos. Ler mais →


informe


informe


Livro-Rita-Lee-Imaginação-FértilPor: Kátia Muniz

Não consigo ouvir algumas músicas da Rita Lee sem fazer viagens ao passado. Tem canções que permanecem com a gente, moram dentro e basta ouvir os primeiros acordes para as lembranças saltarem do fundo do baú.

Quando me deparei, na livraria, com Rita Lee – uma autobiografia, sabia que a leitura seria um check-in para as recordações.

O livro tem 294 páginas. Devorei-as. Ler mais →


coluna página 7


coluna página 7


coluna página 7



vermelho {limão}