O vice-prefeito Arnaldo Maranhão e o presidente da Câmara, Marquinhos Roque, assinaram ficha de filiação no PODEMOS

3.1- candidatosNa última sexta-feira, dia 6, o vice-prefeito de Paranaguá e, então secretário de Obras, Arnaldo Maranhão, filiou-se ao partido do PODEMOS, comandado em nível nacional pelo senador e pré-candidato a presidente da República, Álvaro Dias. A filiação confirmou, também, a pré-candidatura de Maranhão a deputado federal. E o partido também ganhou outras filiações. Ler mais →


matinhosNo próximo dia 29 de março, das 9h às 12h, acontecerá a 1ª Oficina de Engajamento do Plano para o Desenvolvimento Sustentável do Litoral (PDS_Litoral) em Matinhos. Já no período da tarde, das 14h às 17h, a Oficina será realizada em Pontal do Paraná. O evento é aberto ao público e visa traçar as diretrizes para as ações que serão realizadas durante o desenvolvimento do PDS_Litoral que irá sintonizar ações dos três níveis de governo e da sociedade local para a definição de ações que permitam o desenvolvimento da região.

Ler mais →


DC 3 valendo.indd


CONGRESSO PPSO Congresso do PPS realizado no último sábado (25) teve cara de convenção partidária. O encontro para definir o novo Diretório Estadual terminou com a aclamação do prefeito de Guarapuava, Cesar Silvestri Filho, como pré-candidato do partido ao Governo do Paraná. Para o PPS, no atual cenário político, uma candidatura com espírito outsider está mais perto de atender a expectativa do eleitor. E o discurso está pronto para cutucar os nomes que já se lançaram na disputa.

“Somente uma candidatura independente como a minha, que não nasce comprometida com velhas estruturas de poder, têm condição de propor mudanças realmente fundamentais para o Paraná”, diz Silvestri Filho.


Notícias equivocadas ou mal intencionadas faz Câmara fazer nota de esclarecimento

thumbnail_xSantuário1 03102017A Câmara Municipal de Paranaguá vem a público para esclarecer que a presença do reitor do Santuário do Rocio, o padre Joaquim Parron, na sessão desta terça-feira, 10, às 19h, no plenário do Palácio Carijó, não se tratará de uma audiência pública, mas sim de um convite  feito pela Casa de Leis para que o padre Parron faça uso da palavra e explane a respeito dos preparativos para a festa de Nossa Senhora do Rocio, em novembro.

Vale destacar ainda que a Casa de Leis, ao contrário do que já foi exposto em redes sociais, em nenhum momento se manifestou no tocante a uma possível mudança de local do Santuário do Rocio. Tal assunto, reitera a Câmara Municipal de Paranaguá, é de total desconhecimento do Poder Legislativo até o presente momento.

Por fim, lembramos que as informações desta Casa poderão ser acessadas por qualquer pessoa   nos canais oficiais do Poder Legislativo Municipal, que são o site www.paranagua.pr.leg.br e a página do Facebook, situação que  impedirá a população vir a ser levada por boatos ou notícias de teor inverídico sobre a Câmara e seus vereadores.

Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Paranaguá


Opinião de um dos vereadores foi definida pelos colegas como “deselegante”, mas as críticas que o pastor fez também foram lembradas e foi pedida retratação

19030512_784326238405134_7322672721166953951_nO vereador Sargento Orlei colocou lenha numa fogueira que já estava quase apagada, visto que tanto a Marcha para Jesus, assim como o show, foram sucesso de público e organização.

Mas, na primeira sessão da Câmara neste segundo semestre, e logo após os eventos que encerraram as festividades do aniversário da cidade, a manifestação que o Pastor Irineu fez como presidente da Amep (Associação dos Ministros Evangélicos de Paranaguá) na Casa de Leis veio à tona. Ler mais →


Documento assinado pelos prefeitos que fazem parte da Amlipa será protocolado junto ao Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) com manifestação de repúdio à decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de reduzir cartórios eleitorais na região 

25842O prefeito Marcelo Roque e o vice-prefeito Arnaldo Maranhão, junto aos juízes eleitorais, Dr. Rafael Kramer Braga e Dra. Pamela Dalle Grave Flores, ao presidente da Associação dos Municípios do Litoral do Paraná (Amlipa) e prefeito de Guaratuba, Roberto Justus, aos prefeitos de Antonina, José Paulo Vieira Azim, de Guaraqueçaba, Ariad Júnior, de Matinhos, Ruy Hauer Reichert e de Morretes, Osmair Costa Coelho, promoveram uma reunião na Prefeitura de Paranaguá, com o objetivo de somar forças contra a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de reduzir cartórios eleitorais no Litoral do Paraná. De acordo com os prefeitos e juízes, a decisão, caso concretizada, poderá afetar a fiscalização já no pleito eleitoral de 2018 e dificultar acesso aos serviços eleitorais e à Justiça pelos cidadãos.

Segundo os juízes eleitorais, a resolução assinada neste ano pelo TSE, determina que em municípios do interior que contam “com mais de uma zona eleitoral e até 200 mil eleitores, o atual quantitativo de zonas do município somente poderá ser mantido se verificado o limite médio de 70 mil eleitores por zona eleitoral”. Ou seja, em Paranaguá, onde existem duas zonas eleitorais, que possuem cada uma em torno de 46 mil eleitores, uma das zonas seria extinta, segundo a resolução. Além disso, a decisão poderá simplesmente extinguir as zonas eleitorais de Antonina, Morretes e Guaraqueçaba, onde os eleitores teriam que se locomover até municípios vizinhos para obterem acesso a serviços eleitorais.

A resolução do TSE é ainda mais rigorosa para municípios com apenas uma zona eleitoral, onde se criou um coeficiente eleitoral para avaliar a extinção ou não das zonas eleitorais, que leva em conta a densidade populacional e a extensão territorial, com objetivo de extinguir 200 cartórios eleitorais em todo o Paraná Na prática, o Tribunal deverá extinguir as zonas eleitorais de Guaraqueçaba (onde se deveria existir 17 mil habitantes para manutenção, mas se possui uma média de 7 mil eleitores), de Morretes (onde há 15 mil eleitores, mas para manutenção da zona eleitoral deveria haver 20 mil, segundo TSE) e de Antonina, que conta com números semelhantes ao de Morretes. Com isso, haveria um remanejamento das zonas eleitorais para os municípios mais próximos, algo que será definido pelo TSE até dia 15 de agosto.

De acordo com os prefeitos e magistrados, a decisão do TSE dificultará a fiscalização da Justiça Eleitoral nos pleitos realizados, algo que já ocorrerá em 2018. Além disso, haverá prejuízo no oferecimento de serviços eleitorais e no acesso à Justiça pelos cidadãos dos cartórios eleitorais extintos, que terão que se deslocar grandes distâncias para poderem ir até uma zona eleitoral. Segundo os juízes, a redução poderá também retirar um juiz eleitoral e um promotor eleitoral da fiscalização das eleições, algo que também afetará a legitimidade do pleito, bem como o diálogo e fiscalização com os partidos e candidatos.

“O objetivo desta reunião com os juízes eleitorais de Paranaguá foi concretizar esta coesão entre os prefeitos do Litoral para demonstrarmos ao TSE que não concordamos com a decisão da redução de zonas eleitorais. A Amlipa, com o seu presidente, o prefeito Roberto Justus, irá emitir um documento onde todos os prefeitos do Litoral manifestando o nosso repúdio com esta decisão negativa para a democracia e para o processo eleitoral ético, que irá transferir gastos de forma injusta para o eleitor, que será o maior prejudicado nesta história”, afirma o prefeito Marcelo Roque. “É um atentado à democracia, pois a Justiça Eleitoral tem um papel importante e, em períodos eleitorais, é necessária agilidade e presença em todo o processo”, completa o vice-prefeito Arnaldo Maranhão.

A principal justificativa do TSE seria a economia de recursos, no entanto, segundo o que foi repassado na reunião, ela seria de apenas 0,2% do orçamento total do Tribunal, algo que poderia ser economizado com outros gastos, envolvendo, por exemplo, redução de campanhas publicitárias e reavaliação de contratos de vigilância. O documento demonstrando o repúdio dos prefeitos da região será entregue ao Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) até o dia 15 de agosto, data em que o TRE-PR deverá enviar ao TSE dados técnicos em torno da possibilidade de redução das zonas eleitorais. A intenção é demonstrar a união do Litoral para que as zonas não sejam excluídas, algo que, segundo os prefeitos e juízes, representará um retrocesso democrático que inclusive poderá aumentar práticas políticas abusivas na região.

O advogado Giordano Sadday Vilarinho Reinert representou a Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Paraná (OAB-PR) na reunião, demonstrando o apoio da entidade representativa ao posicionamento dos prefeitos do Litoral em prol do respeito e acesso à Justiça aos eleitores da região.

Fonte: Secom/PMP

Confira como vai ser o programa e o que diz Alceuzinho Maron sobre nova fase

alceu maron filhoO anúncio de um novo programa e a retomada de outro na TVCi, envolvendo nome de dois políticos que foram protagonistas de fortes embates nas últimas eleições, gerou polêmica na última semana como pode ser conferido na matéria que o Blog divulgou no último dia 11 de julho.

Dando sequência a estas reportagens, trazemos uma entrevista com o âncora do programa Litoral Urgente, Alceuzinho Maron.

Blog da Luciane: Quais os assuntos que este novo programa vai divulgar na TV local?    

Alceuzinho Maron: o programa Litoral Urgente inaugura um novo projeto de jornalismo na TVCI. Notícias de tudo o que aconteceu no dia nas sete cidades do Litoral. E tudo ao vivo, no calor dos fatos, com três equipes de reportagem espalhadas pela nossa região. Enfim, um noticiário do cotidiano, política, direitos, economia, policial, cultura, esporte, tudo que seja litorâneo.

Blog da Luciane: Geralmente, um programa conta com um âncora, um jornalista para apresentar. Quem será este âncora?         

Alceuzinho Maron: Eu mesmo fiquei surpreso com o convite da direção da TV para ancorar este novo programa. Nunca pensei em fazer isso antes. Mas eles justificam dizendo que precisam como âncora alguém de boa comunicação, popular e que tenha raízes em Paranaguá, e viram estes atributos em mim. Honrado com este convite, aceitei! É um desafio

Esta é mais uma boa oportunidade para provar que prata da casa parnanguara dá certo na tv!

Blog da Luciane: Como  responde aqueles que ouviram você criticar a TV durante o período eleitoral e agora ter um programa dentro da mesma emissora tão criticada?

Alceuzinho Maron: Minhas críticas tiveram como alvo a candidatura apoiada pela tv, não a tv, por mais que resvalasse nela. E bati firme mesmo como costumo fazer.  Todos sabem que sou de posições definidas e personalidade forte.

Agora, a vida ensina que onde posso aceitar a paz, por que fazer guerra? Hoje TVCI e eu estamos empenhados em levar um produto jornalístico sobre o Litoral paranaense com a  melhor qualidade para as pessoas. Este é o desafio que temos que vencer!

O programa Litoral Urgente começará no dia 24 de julho, de segunda a sábado, a partir das 18h. Com certeza, a audiência para o primeiro programa deverá superar as expectativas.


CPI das Tarifas Portuárias iniciou oitivas com empresas que operam no porto ontem na Alep

unnamedA Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Tarifas Portuárias, presidida na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) pelo deputado Fernando Scanavaca (PDT), ouviu nesta terça-feira (11) os quatro primeiros representantes de empresas que operam na estrutura portuária paranaense e conheceu as posições dos empresários a respeito de ação judicial impetrada pelo Sindicato dos Operadores Portuários do Estado do Paraná (Sindop) contra a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), em 2007, questionando reajustes aplicados pela Appa. Ler mais →


informe



vermelho {limão}