Hábitos SaudáveisNas últimas semanas, o youtuber Whindersson Nunes compartilhou a sua luta contra uma esteatose hepática, popularmente conhecida como gordura no fígado. Após o diagnóstico, ele relatou a mudança necessária ao seu estilo de vida decorrente da doença e que resultou em uma aparente perda de peso. Mais do que um desabafo, ele chamou a atenção das pessoas para os cuidados que se deve ter com a saúde. Ler mais →


20180403181505_660_420Um tiroteio foi registrado na sede do YouTube em San Bruno, na Califórnia, Estados Unidos, na tarde desta terça-feira, 3. A polícia da cidade confirmou o registro da ocorrência e pediu que moradores se mantivessem longe do local. Ler mais →


Ferramentas informam todas as etapas do crescimento do bebê e ainda dá dicas de saúde
app
A gravidez é um momento único para os pais e envolve uma série de curiosidades. Mesmo com o pré-natal e todos os acessos as informações gestacionais proporcionados por aparelhos de última geração, por vontade da mãe, o bebê seria monitorado a todo o momento, até mesmo de casa.

Ler mais →


saiba-como-usar-as-redes-sociais-profissionais-a-favor-da-sua-carreira-710x300Muitas pessoas utilizam as redes sociais apenas como ferramentas para entretenimento e descontração, o que, de certa forma, não está errado. Contudo, um uso mais adequado dessas ferramentas de comunicação pode potencializar carreiras e promover crescimento profissional e network. Assim, cuidados são necessários.

Saiba quais são:  Ler mais →


A recomendação é que a vacina não seja tomada por pessoas que nunca tiveram contato com o vírus da dengue. Então pergunto: por acaso a Sanofi está brincando com o povo brasileiro?  Para mim, é uma irresponsabilidade que coloca em questão a fiscalização feita pelo governo federal, via Anvisa

Tire-suas-dúvidas-sobre-a-vacina-contra-a-dengueO fabricante da vacina dengue, Dengvaxia, o laboratório Sanofi-Aventis, apresentou informações preliminares e ainda não conclusivas, que apontam que indivíduos podem desenvolver formas mais graves da doença, quando usam a vacina sem ter tido contato prévio com o vírus da dengue.

A possibilidade existe no caso de pessoas soronegativas (que nunca entraram em contato com o vírus) serem vacinadas e posteriormente serem expostas ao vírus da dengue, ou seja, após a picada de um mosquito infectado.

A vacina em si não desencadeiaria um quadro grave da doença nem induzia ao aparecimento da doença de forma espontânea. Para isso, é necessário o contato posterior com o vírus da dengue por meio da picada de um mosquito infectado. Ler mais →


* Júlia Herkenhoff Carijó

IMG_1414Seguir rigorosamente o calendário vacinal e manter a carteira de vacinação atualizada é muito importante em todas as idades, não só para se proteger de doenças que são facilmente evitáveis, como Sarampo ou Rubéola, mas também para prevenir aquelas que são consideradas graves e podem levar a morte, como é o caso do Tétano e Meningite.

A maioria das pessoas tem muitas dúvidas sobre o assunto ou acredita que essa questão seja voltada somente para um público específico ou de risco, como é o caso das crianças, gestantes e idosos. O que acho importante e sempre reforço com todos é que as vacinas são uma das ferramentas mais eficazes no combate a agentes infecciosos. Por meio delas, quando nosso corpo detecta o microrganismo, automaticamente produz os anticorpos necessários para evitar que a doença aconteça e se desenvolva, proporcionando uma maior proteção. Ler mais →


O debate reacende após Anitta anunciar Felipe Rodrigues, jovem de 26 anos com SD, como novo integrante da sua equipe de balé

anitta-ao-lado-de-felipe-rodrigues-em-show-em-2015-1508263648029_v2_450x450O mundo inteiro vive um período de maior aceitação às diferenças, sejam raciais, sociais ou religiosas. Atualmente, as pessoas têm mais facilidade se colocar no lugar do outro e, consequentemente, respeitá-lo. O mesmo se aplica à Síndrome de Down. Descrita pela primeira vez em 1866, essa condição genética era vista, inicialmente, como doença e incapacitante, mas este pensamento foi modificado com o passar dos anos.

Hoje, encontramos pessoas com Síndrome de Down vivendo suas vidas plenamente em família, no trabalho e relacionamentos afetivos. Estão presentes em grupos de música, dança, fotografia, e outros. Com essa mudança de pensamento e a inclusão social que se faz mais do que necessária, os artistas e formadores de opinião vem proporcionando oportunidades a essas pessoas, além de reacender o debate sobre a inclusão. Ler mais →


Psicopedagoga especialista em educação fala sobre essas brincadeiras e seus benefícios para os pequenos

amarelinhaO ato de brincar tem um papel fundamental para o crescimento biopsicossocial das crianças. É nesse momento que elas se desenvolvem, exploram características de personalidade, fantasias, medos, desejos, criatividade e elaboram o mundo exterior a partir de seu campo de visão. Para Ana Regina Caminha Braga, psicopedagoga especialista em educação e educação especial, a criança precisa experimentar, ousar, tentar e conviver com as mais diversas situações. Brincar com outras crianças, com adultos, com objetos e com o meio. E para te ajudar nessa tarefa, a especialista separou cinco brincadeiras bem tradicionais que podem ajudar no desenvolvimento dos pequenos. Ler mais →


Organização Mundial da Saúde estima que 800 mil pessoas morrem por suicídio anualmente

infografico-depressao_1_0Segundo levantamento da OMS, a depressão atinge cerca de 5,8% da população do Brasil, posicionando o país como o maior em quantidade de pessoas com a doença na América Latina.

“Expressões como ‘sou chato’, ‘sou incompetente’, ‘serei infeliz até o final da minha vida’, nas quais a pessoa exterioriza uma visão negativa de si mesma, de sua experiência de vida e do futuro podem significar o início de um quadro de depressão,” explica Tatiane Paula Souza, psicóloga cadastrada na Doctoralia. A profissional traz algumas orientações e recomendações sobre esta que é uma das mais devastadoras doenças da modernidade.

O que diferencia a doença depressão de condições emocionais, como a tristeza?

A depressão normalmente se caracteriza por um sentimento de tristeza persistente que se reflete em sintomas físicos como alterações no sono, dificuldades na execução das tarefas cotidianas, falta de apetite ou compulsão alimentar, cansaço e falta de energia. Quando os sintomas se tornam crônicos, podem ocorrer também pensamentos suicidas e uso de substâncias psicoativas. Deprimidos também apresentam perda de interesse; atenção e concentração prejudicadas, auto-estima reduzida e sentimento de culpa e inutilidade. Ler mais →


child-817369_1920*Ana Regina Caminha Braga

Não é preciso ir longe para assistir exemplos de que a sociedade anda com vários problemas. Ligue a TV, assista ao telejornal e preste atenção nas matérias divulgadas. Violência, preconceito e corrupção são palavras já comuns em nosso dia a dia, e o pior, nós nos acostumamos com isso. Ações e valores como esses, nada mais são que o reflexo de um problema ainda maior: a falta de educação. Uma educação de qualidade e adequada para que nossas crianças e jovens possam crescer.

Tudo isso é reflexo de um Brasil que não dá amparo suficiente a educação, por isso digo que nós como educadores temos um papel ainda mais importante. Precisamos educar nossos jovens e crianças da melhor maneira. Precisamos estar atentos aos conteúdos que vamos desenvolver em sala. Essa é uma das obrigações de nós professores. Eu entendo que talvez nós não consigamos mudar o mundo, mas ao orientar e motivar nossos alunos a construção de um caráter, respeitando a si e ao próximo, já estaremos fazendo algo.

Quando trabalhamos valores reais como o respeito, confiança e aceitação das diferenças formamos adultos com uma maior capacidade de reflexão de seus atos, do certo e do errado. É nosso papel ajudar a entender e visualizar o mundo e seus desafios. Mas não podemos fazer isso sozinhos. Em casa, os pais e responsáveis também devem estar atentos.

Educar tem que ser uma ação conjunta. Não adianta tratarmos de tais valores na escola, quando em casa as crianças e adolescentes estão expostos a brinquedos, filmes e programas que trazem uma distorção da realidade.  Quando expomos uma criança a esse tipo de realidade distorcida, ou que motiva atitudes inadequadas, sem o devido cuidado, damos a ela a chance de achar que aquilo é certo ou parte do real, o que acaba prejudicando seu modo de pensar e ver o mundo.

A mudança real começa na educação. É nossa obrigação orientar e fazer com que nossos alunos entendam suas atitudes e consequências, refletindo de forma correta sobre elas.  Só assim os valores distorcidos podem se tornar algo raro.

_DSC2131*Ana Regina Caminha Braga (anaregina_braga@hotmail.com) é escritora, psicopedagoga e especialista em educação especial e em gestão escolar.

 



vermelho {limão}