Ocorreu uma colisão prejudicando pilastras da estrutura. Colisão será averiguada
WhatsApp Image 2019-02-08 at 13.48.05 (1)O secretário Municipal de Serviços Urbanos, Ícaro Wolski, tomou conhecimento de uma colisão que ocorreu envolvendo uma embarcação no trapiche na comunidade marítima de Eufrasina.

O fato foi comunicado a Defesa Civil que imediatamente tomou as providências para interditar o trapiche, visando preservar a segurança dos usuários, devido aos danos ocorridos na estrutura. Ler mais →


Estrutura antiga de madeira foi substituída por concreto. Obra foi realizada em parceria pelo Governo do Estado, via Secretaria de Infraestrutura e Logística, e Prefeitura de Pontal do Paraná

Convênio firmado pelo Governo do Estado, via Secretaria de Infraestrutura e Logística, com a Prefeitura de Pontal do Paraná viabiliza a reforma do trapiche de embarque de passageiros para a Ilha do Mel. - Curitiba, 01/11/2018 - Foto: Jorge Woll/DER

Foto: Jorge Woll/DER

Turistas, moradores e comerciantes aprovaram a reforma do trapiche do Terminal Aquaviário de Pontal do Paraná. Em fase de conclusão, a obra no Litoral é fruto do convênio de delegação firmado em 2016 pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística, com anuência do Instituto das Águas do Paraná, delegando à prefeitura a operação, gestão e exploração do terminal de embarque de passageiros para a Ilha do Mel. Ler mais →


O trapiche é o principal acesso dos visitantes na região de Brasília, onde fica o Farol e outros pontos turísticos e pousadas da Ilha do Mel. IAP emitiu, recentemente, a dispensa de licenciamento ambiental

3.1- trapicheFaltando menos de quatro meses para o início da temporada de verão e tão perto da Semana da Pátria,, um dos feriados mais aproveitados para viajar, a situação do trapiche da Praia de Brasília, na Ilha do Mel, Litoral do Paraná, preocupa moradores, comerciantes e turistas.

Fotos mostram que  a área de embarque está comprometida, o que prejudicaria o acesso de visitantes ao local. Ler mais →


trapiche tornozelo

Foto: Roberto Santana

“Aconteceu o que já era esperado”, disse Roberto Santana, morador da Ilha do Mel. Ele estava se referindo a uma turista que quebrou o pé no trapiche mal conservado da Ilha do Mel , um dos pólos turísticos do Paraná e uma das dez ilhas paradisíacas do mundo.

O caso aconteceu no último sábado, dia 27. A turista desembarcou na parte de Nova Brasília e teve um acidente entre as tábuas tortas, quebradas e ferro enferrujado. Confira o vídeo feito por Roberto Santana.

A turista fraturou o tornozelo quando pisou em uma tábua solta. Ela foi levada para o Hospital Regional de Paranaguá e terá que ficar um mês afastada do trabalho.

Fotos: Facebook Roberto Santana

Fotos: Facebook Roberto Santana

Moradores e quem trabalha na Ilha do Mel contam que o caso da turista não foi isolado. Não são raros os casos em que turistas caem ou se machucam ao desembarcar no trapiche, além dos próprios moradores.

“[O trapiche] Não foi elaborado com uma preocupação de acessibilidade, e a gente sabe que existe uma lei que obriga os lugares a terem condições de acessibilidade. Então, não é só um cadeirante, uma pessoa mais comprometida. É um idoso, uma mulher grávida, uma criança…”, disse Suzi Albino, que é empresária e tem uma pousada na Ilha do Mel.

O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) informou que o acidente está sendo investigado, junto com a Prefeitura de Paranaguá. Segundo o IAP, o trapiche está danificado por conta das ressacas que ocorreram recentemente no Litoral, mas esta justificativa foi duramente criticada nas redes sociais (veja quadro).

O Instituto também informou que um flutuante foi instalado pela prefeitura no dia 22, ficando preso ao lado do trapiche original. A parte estava isolada e, de acordo com informações preliminares, esse isolamento foi retirado por pessoas não autorizadas, o que pode ter causado o acidente.

Por fim, o IPA afirmou que um processo de licitação para reforma já está em andamento. A publicação do edital deve ocorrer em setembro deste ano.

Ressaca não destruiu o trapiche

Para Marines Bueno de Oliveira, internauta, o IAP mentiu quando comentou sobre o fato de ressacas terem prejudicado o trapiche. “Não foi uma simples ressaca que destruiu o trapiche, ele já está apodrecendo há anos, a única coisa que é feito é gambiarrra, e a área só foi isolada depois do acidente. Os moradores vem implorando por manutenção no trapiche há muito tempo!! 2°Pólo Turístico do Paraná e uma das 10 Ilhas Paradisíacas do mundo totalmente abandonada. Na verdade os moradores só são lembrados na hora de aplicar multas!!!”, desabafou em plena rede social Facebook.

trapiche redes sociais

 


Mais segurança para os moradores da Vila de São Miguel, comunidade insulana e pesqueira da Baía de Paranaguá. Postes de iluminação também estão sendo instalados na localidade

10556402_689536171122968_7512220928782116604_n

Trapiche antes

Moradores da Vila de São Miguel registraram, em apenas um mês, quatro acidentes no trapiche que atende a localidade. As placas que formam o piso estavam cedendo. Para acabar com este problema, a vereadora Sandra Neves, reivindicou a recuperação através da indicação 02, apresentada em fevereiro de 2013.

Trapiche depois

Trapiche depois

O prefeito Edison Kersten atendeu ao pedido da vereadora e da população da comunidade de São Miguel. “Mais uma vez, deixo meus agradecimentos ao prefeito, pois os moradores já percebem as melhorias que a Prefeitura está executando”, destacou Sandra Neves.

O trapiche, que tem 250 metros e é o único meio de acesso à comunidade, tem mais de 15 anos.

A reforma é uma obra paliativa. Paralela a esta iniciativa do prefeito, a Secretaria de Agricultura, Pesca e Abastecimento contratará assessoria especial para fazer projeto específico que possa ser encaminhado aos órgãos federais e estaduais com o objetivo de angariar recursos.

Iluminação

10517526_689545337788718_2334113601109786047_nOs moradores dos bairros e regiões insulanas têm nos vereadores os porta-vozes junto ao Poder Executivo. E a vereadora Sandra Neves vem sendo a voz que defende os interesses dos moradores das ilhas e comunidades marítimas.

Além de conseguir a recuperação do trapiche, a vereadora também conseguiu a troca de todos os postos do trecho entre o trapiche e a comunidade, bem como a troca da iluminação do próprio trapiche, o que garante mais segurança.

“Agradeço ao prefeito Edison e toda equipe da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, como o secretário Carlos André, o engenheiro Alan e o nosso dedicado servidor, Zaide Gomez que não medem esforços para atendimento da população”, lembra a vereadora. “Não poderia deixar de mencionar o colaborador João do Rosário, mais conhecido como Jango que transporta os materiais para as comunidades pesqueiras”, reforça Sandra Neves.

O material de iluminação para o trapiche e os postes de fibras foi levado para a Vila de São Miguel na sexta-feira (01) e o serviço já começa a ser executado.


Quem utiliza os trapiches devem fazer cadastramento na SEMSU

A Prefeitura de Paranaguá está chamando os proprietários de embarcações que utilizam os trapiches de Paranaguá e da Ilha do Mel para efetuar o cadastramento das embarcações até o dia 16 de novembro. O cadastramento deve ser feito na Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SEMSU), que fica na rua Júlia da Costa, 655, e falar com o funcionário Josué.

Após o dia 16 de novembro as embarcações que não estiverem cadastradas não poderão mais utilizar os trapiches públicos. Esse cadastro será utilizado para a cobrança da taxa de turismo e hospedagem que passará a ser cobrado de todo o turista que utilizar as embarcações para passeio na baía, deslocamento para a Ilha do Mel ou outras localidades marítimas e também que tenham origem em outros municípios, mas que utilizem os trapiches da Ilha do Mel ou Paranaguá.

“A instrução para cobrança será dada no momento oportuno”, informou o secretário da pasta, Rodolpho Germano Hammerle Júnior.

Os proprietários das embarcações devem levar os seguintes documentos e dar as seguintes informações para o cadastramento:

• Documentação da embarcação • Documentação do proprietário • Pessoa física- RG, CPF e comprovante de residência • Pessoa jurídica- Contrato Social • Tamanho do barco em metros • Capacidade de lotação • Trabalha em quantas linhas regulares? • Quais linhas? (origem/destino) • Trabalha linhas de turismo (passeios)? • Quais passeios são realizados? • Qual o valor da passagem? • É associado a alguma associação ou cooperativa? • Em qual trapiche trabalha?



vermelho {limão}